quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Medicamentos para emagrecer ou mudança de hábitos alimentares e exercício físico

Existem muitas pessoas com excesso de peso em Portugal, esta é uma realidade.

Quando começa a chegar o Verão muitas pessoas começam a recorrer a nutricionistas, na procura de um medicamento/droga que seja mágico e que as ponha logo em forma.
Se a nutricionista acha que devem começar primeiro com uma mudança de hábitos, comer menos, não comer doces e fritos, fazer exercício regularmente, etc… dizem logo mal desse nutricionista, pois não lhe disse ou deu nada de novo.

É verdade que estas pessoas andam á procura de “qualquer coisa” que as faça perder peso rápida e facilmente e isso está normalmente associado ao recurso a medicamentos, embora saibam que existem complicações resultantes da administração de medicamentos dietéticos que colocam em dúvida a boa relação benefícios/riscos.

Por exemplo, existiu um medicamento dietético nos anos 30 que ajudava o corpo a queimar as gorduras, mas que também a longo prazo provocava cegueira e morte. Nas décadas 50 e 60, para emagrecer as pessoas utilizavam anfetaminas, que suprimiam o apetite e aceleravam o metabolismo, no entanto, descobriu-se que estas pessoas ficavam paranóicas e quando paravam de tomar sentiam-se deprimidas e tinham dependência do medicamento podendo ter também problemas cardíacos.

Não nos podemos esquecer que as “dietas milagrosas” eliminam grupos inteiros de alimentos, privando o corpo de nutrientes essenciais ao seu bom funcionamento, originando também fadiga, doenças e diminuição do metabolismo. Esta diminuição provoca o ganho de peso assim que a dieta é interrompida. Além disso, o que acontece muitas vezes com estas dietas é que em vez do peso perdido ser gordura são os músculos e a água.

Por isso, penso que o melhor será mudar primeiro os hábitos, como comer menos, não comer doces, fritos e outras coisas que ajudam as pessoas a engordar uns quilinhos e a fazer exercício regularmente. Não é necessário inscreverem-se em ginásios para fazer exercício, se todos os dias foram correr ou caminhar durante pelo menos 30 min, já ajuda bastante.

Também, não se podem esquecer que a prescrição de medicamentos para emagrecer implica sempre a mudança de hábitos (dieta baixa em calorias e exercício regular), pois o medicamento só por si não permite mais do que uma pequena redução de peso, e este será recuperado quando se terminar a medicação.

É bom também lembrar que os produtos á venda em farmácias e ervanárias, que chamam á atenção das pessoas pelos belos slogans “devoradores de gordura”, “efeito super-adelgançante” são uma mentira pura. Não existem produtos/medicamentos milagrosos que devoram gorduras.

Emagrecer sem esforço é uma utopia, é necessária uma mudança de hábitos e para isso as pessoas têm que ter força e determinação. Este é o primeiro passo para perder peso eficaz e controladamente.
Enviar um comentário