domingo, 11 de outubro de 2009

Frutas e legumes, são importantes

No passado, e também ainda no presente, muitos bodybuilders tinham o hábito de eliminar a fruta das refeições, porque saciavam sem fornecerem muitos glícidos.

No entanto, não podemos passar sem elas. É um facto que a fruta e os legumes são pobres em calorias, logo pouco interessantes para os atletas com grandes necessidades de glícidos e de proteínas, mas estes alimentos contêm vitaminas e oligoelementos.

Muitos atletas sabem que se não comerem glícidos/hidratos de carbono (arroz, massa, batatas, pão), em quantidades suficientes, não conseguiram aguentar o treino. Também é importante na alimentação dos atletas a proteína. A ingestão insuficiente de uma destas duas categorias de alimentos pode trazer ao atleta alguns problemas de saúde, como fadiga, má recuperação pós treino, problemas de concentração.

Assim, a ingestão destas categorias de alimentos são as mais importantes para um atleta, as frutas e os legumes ficam sempre para último plano.

Por exemplo:
250g de legumes (feijão-verde ou brócolos) fornecem 70 calorias e 13g de glícidos.
250g de massa fornecem 6 vezes mais açúcares

Visto isto a vossa pergunta será: Podemos então passar sem frutas e legumes?

A resposta é... NÃO!!!

As vitaminas são substâncias que o nosso organismo não consegue produzir, e por isso são chamados de compostos “essenciais” ou “indispensáveis”. Existem 13 tipos de vitaminas diferentes, estas colaboram em múltiplas reacções químicas no seio dos nossos tecidos.

As vitaminas não são substituíveis por comprimidos, muitos dizem que sim, mas os legumes frescos e a fruta possuem mais vitaminas do que os preparados farmacêuticos, e a substituição de maçãs e dos tomates por vitaminas não previne as carências vitamínicas.

Em relação aos oligoelementos, tais como o selénio, o silício, o magnésio e o molibdénio, são elementos participantes em inúmeros processos fisiológicos com o desenvolvimento de reacções energéticas, cicatrização e conservação das cartilagens.

As frutas e os legumes frescos são as melhores fontes de oligoelementos, por exemplo a vitamina C da laranja é melhor assimilada comendo uma laranja, do que sob a forma de comprimido.

Outra coisa também muito importante, é que a frutose é única nas plantas e só é utilizada pelo fígado, que a converte em glicose. Isto significa que leva o seu tempo a chegar aos músculos.

É assim importante que um atleta aumente a ingestão de vitaminas, sobretudo C e E, que favorecem a recuperação, pois estas vitaminas possuem propriedades antioxidantes, ou seja, ajudam a neutralizar os venenos fabricados durante a aceleração das reacções químicas que sobrevêm ao esforço. Estas vitaminas preservam assim a integridades dos nossos tecidos.

Maçãs ou Laranjas? Qual destas frutas mantêm a gordura corporal longe, e ao mesmo tempo produz o crescimento muscular?

As maçãs são frutas que queimam mais devagar, comparadas com as laranjas, ou seja, a energia que providenciam permanecerá mais tempo no organismo. Têm ainda a vantagem, porque contêm 30 a 40 gramas de hidratos, serem as mais preferidas pelo atleta, além disso são de digestão mais lenta, devido à pectina (um tipo de fibra).

As laranjas são queimadas mais rapidamente no nosso organismo, mas têm maiores níveis de nutrientes, incluindo uma enorme dose de vitamina C. Esta está ligada a um impulso de óxido nítrico, que é um benefício para os culturistas. Duas laranjas antes do treino, asseguram os hidratos que o atleta precisa.



Concluindo, não podemos dizer qual é a melhor fruta, tanto as maçãs como as laranjas são boas para ingerir, porque têm funções diferentes. No entanto, são duas fontes perfeitas para consumir antes do treino, mas não depois. Estas providenciam uma queima lenta de hidratos, que irá fazer com que o atleta consiga treinar mais pesado sem aumentar muito os níveis de insulina.
Enviar um comentário