quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Revista Visão - Shame on you


Comprei a revista Visão, Edição nº 862, 10 de Setembro, porque na capa dizia “Afinal, o Exercício não emagrece”, e fiquei curiosa...

Quando acabei de ler o artigo fiquei um pouco escandalizada, dizer ás pessoas que porque fazem exercício, ficam com mais fome e por isso engordam... é uma perfeita mentira, e que o esforço é inútil é uma barbaridade!!!!!

O artigo começa por dizer que ir ao ginásio é um sacrifício ou uma tortura. Acho que é bom referir que as pessoas que querem ir para um ginásio, é porque gostam de lá estar, quem vai por sacrifício, faz os exercícios mal feitos, á pressa e claro não vê resultados nenhuns.

Digo isto, porque já conheci muita gente assim, primeiro pensam que ao fim de um mês já tem o corpo perfeito, e enquanto estão a fazer os exercício estão constantemente a queixar-se. É claro que ao fim de pouco tempo desistem...

A autora do artigo diz algo correctíssimo: “Um dos pressupostos mais amplamente aceites e repetidos na nossa cultura é que, se fizermos exercício, perdemos peso.” Isto é mesmo um pressuposto, porque fazer somente exercício não nos faz perder peso, é possível afirmar que nos faz manter o peso, mas só perdemos peso se ao exercício aliarmos uma mudanças dos hábitos alimentares.

A autora fala um pouco sobre si, dizendo que continua a fazer exercício e que cortou com as sobremesas que comia, mas que continua com o peso que teve ao longo da vida. À que perceber que não basta cortar nas sobremesses, a pessoa tem que se “educar” a nível da alimentação para conseguir perder peso.

A autora refere também o facto de que não consegue perder a gordura da barriga, no entanto, as gorduras localizadas nas zona da cintura e dos quadris são, normalmente, as primeiras a serem depositidas e as ultimas a serem eliminadas. Assim, fazer 100 abdominais por dia, podem ajudar na tonificação da musculatura da barriga, mas pouco ou nada na eliminação de gordura acumulada nessa região. Para perder a barriga a solução é exercitar todo o corpo para queimar calorias de forma geral, e claro com a utilização de um programa alimentar balanceado.

Quando uma pessoa está na fase do emagrecimento, e deixa um dia da semana para “pecar”, podemos afirmar que está a estragar todos os outros dias, em que está a levar a dieta rigorosamente. Uma pessoa quando está nesta fase, não se pode deixar descuidar nem um único dia... á que pensar que esses dias viram. Uma pessoa quando inicia uma dieta de emagrecimento, não o faz durante toda a vida, quando chega ao corpo que deseja, pode balancear a alimentação, por exemplo, num dia come uma refeição mais elaborada, mas depois compensa nos outros dias. Mas quando está na fase do emagrecimento, não pode fazer isso, senão nunca vai chegar á fase da manutenção.

A autora refere ainda o facto de que nos EUA, existem muitos obesos, mesmo com 57% da população a ir ao ginásio. Isto até pode ser verdade, porque se contarmos as cadeias de fast food que existem, e o facto de as pessoas depois do exercício físico irem “compensar” o que perderam, para um restaurante de fast food, é normal que existam demasiados obesos.

Há muitas pessoas que pensam, e o próprio artigo refere isso, que o exercício “pode estimular o apetite”, mas isto é falso, não existem provas cientificas de que o aumento da actividade física faça aumentar a ingestão de calorias, antes pelo contrário, existem factos que comprovam que a fome é díminuida depois da prática de exercício intenso, devido a uma maior libertação de hormonas, a leptina, que é anorexigênica (diminui o apetite). Por isso, pode-se concluir que não existe efeito entre a ingestão de energia a longo prazo e o exercício físico.

No entanto, a pratica de exercício influência de certo modo, os alimentos que ingerimos. Quando treinamos muito pesado, gastamos muita energia, e por isso temos necessidade de repô-la, ou seja, ingerimos hidratos de carbono, mas quando me refiro aos hidratos de carbono, não são bolos, nem salgados, nem batatas fritas, é a massa, arroz ou aveia, que são hidratos que não tem muita gordura.

Por isso a desculpa de que “Não faço exercício, porque depois tenho mais vontade de comer e engordo mais”, é mesmo uma desculpa nada mais...

A autora do artigo refere também “o problema da compensação”, e relata um estudo feito por Timothy Church, catedrático na área da saúde, onde “distribuiu aleatoriamente 464 mulheres com peso a mais, e que não faziam exercício regular, por quatro grupos. Pediu ás mulheres de três grupos para fazerem exercício com um preparador físico durante 72, 136 e 194 minutos por semana, durante 6 meses.” O outro grupo continuo com a sua rotina habitual. Todas as mulheres receberam instruções para não alterarem os hábitos alimentares. A conclusão a que chegaram, foi o que se estava há espera, todas as mulheres perderam peso, mas as que fizeram exercício com o preparador físico não perderam mais peso do que as outras e algumas ainda ganharam peso. Isto aconteceu porque todas as mulheres, principalmente as que faziam exercício com o preparador, depois do exercício iam recompensar-se com batatas fritas ou doces, ou então comiam mais do que comiam antes iniciaram a experiência.

Algo que eu gostei no artigo, a autora diz que as mulheres convocadas para a experiência, diziam que “não perderam globalmente mais gordura corporal” do que as que não praticavam exercício com o preparador físico, Church perguntou-lhe “O que fazem depois da corrida?”, ao que elas respondem que “Um grupo de amigas estava a parar no café Starbucks para comer bolinhos”. Seguido a isto a autora diz algo correctíssimo “Penso que a maioria das pessoas não sabe que só queimou 200 a 300 calorias e que vai neutralizar o esforço comendo apenas metade de um desses bolos ”.

O que é verdade, é que um bolo tem aproximadamente entre 200 a 300 calorias, alguns ainda têm mais, se uma pessoa come vários bolos ao longo do dia, faz um valor de 1000 ou mais calorias só em bolos, não contando com as calorias que podem ter as outras refeições, por isso é normal, que não percam globalmente mais gordura corporal.

Mais interessante neste artigo, é que a própria autora diz que “para perder peso, podem ser necessários 60 a 90 minutos de actividade física por dia”, mas segundo a autora isto é irrialista para quem quer manter ou arranjar emprego!!!! Por amor de deus, não me digam que uma pessoa não pode dispensar 1 hora do dia para fazer exercício.... Vamos mas é a mexer esse corpo...

Basicamente para a autora, o exercício serve somente para melhorar a saúde cardíaca e ajudar a prevenir doenças, melhora a saúde mental e a capacidade cognitica. Tudo isto é verdade, até para pessoas de idade, se fizerem exercício regularmente tem uma saúde muito melhor, e eu tenho um exemplo, a minha avó que já vai fazer 98 anos, ainda anda uns valentes quilómetros todas as manhãs, e está ali como se tivesses uns 30 anos.

Fiquei um pouco escandalizada com o artigo, porque a autora podia referir que sim, não é o exercício exaustivo que nos traz o corpo perfeito, mas sim, o exercício moderado aliado a uma alimentação cuidada, por isso, vamos todos fazer exercício físico e cuidar da nossa alimentação.
Enviar um comentário